POLICIA | POLICIA

CRIME: no Maranhão ex-marido contratou pedreiro por R$ 5 mil para matar mãe e filha.
caso de duplo feminicídio que teve como vítimas Graça Maria Pereira de Oliveira (57) e de sua filha Talita de Oliveira Frizeiro (27) ,crime este ocorrido no último dia 6 de junho ,no bairro Quintas do Calhau ,em São Luís .




Foto Reprodução da Web

Na manhã desta segunda-feira (21) , a Polícia Civil através da Superintendência de Homicídios e de Proteção à Pessoa (SHPP) , apresentou um balanço parcial das investigações que elucidaram um caso de duplo feminicídio que teve como vítimas Graça Maria Pereira de Oliveira (57) e de sua filha Talita de Oliveira Frizeiro (27) ,crime este ocorrido no último dia 6 de junho ,no bairro Quintas do Calhau ,em São Luís .



Segundo a Delegada Viviane Fontinele,do Departamento de Feminicídio da Polícia Civil , as investigações tiveram como base iniciais imagens de câmeras de monitoramento de residências próximas ao local do crime que registraram a saída de um homem do imóvel das vítimas .



Nas imagens , um detalhe chamou a atenção dos investigadores , o homem carregava duas bolsas e um aparelho celular em um dos seus bolsos e que inicialmente seria de propriedade de uma das vítimas, informação esta confirmada por familiares pelo fato do desaparecimento do aparelho.



Com base nisso , a Polícia Civil começou a rastrear através do GPS do aparelho ,sendo possível localizar sua movimentação na região do bairro da Divinéia . O local foi identificado com uma loja de vendas e assistência de celulares , onde foi confirmado que o aparelho da vítima foi adquirido por meio de uma venda entre o dono do estabelecimento e um homem que apresentava as mesmas características do indivíduo que esteve no local do crime .



A Polícia Civil contou com apoio do Setor de inteligência da Polícia Militar (DIAE) para identificar e localizar o suspeito ,que foi preso na última terça-feira (16).



Foi coletado material genético do suspeito para ser feito um confronto com material encontrado no local do crime e nas vítimas ,sendo confirmado que ele não só esteve na cena do crime ,como também assassinou as duas vítimas .



Durante seu interrogatório , o preso confessou que faz tudo encomendado pelo ex-marido e ex-padrasto das vítimas pelo valor de 5 mil reais .



Ainda durante o interrogatório ,o autor do crime disse que trabalhava em uma obra ao lado da residência da vítima a cerca de dois meses e ao longo desse tempo conquistou a confiança de Graça de Oliveira que fornecia água e alimentos para os pedreiros da obra . No dia do crime , o autor pulou o muro da residência ,onde mobilizou e amordaçou as vítimas e posteriormente matou por asfixia Graça de Oliveira e com uso de uma barra de ferro tirou a vida de Talita Frizeiro.



O executor ainda informou que o mandante teria lhe dado duas opções para executar o crime . A primeira seria colocar os corpos no veículo de uma das vítimas e em seguida tocar fogo ou pôr os corpos na cozinha , liberando o sistema de gás da residência para causar um incêndio ,eliminando assim os vestígios de um crime . Porém o assassino alegou em depoimento que não teve coragem para tais atos .



A Delegada Viviane Fontinele informou que o mandante teria arquitetado todo o curso do crime ,como garantir seu álibi e despistar possíveis investigações policiais. De fato, o ex marido da vítima estava na cidade de Imperatriz no dia do crime bem como nos dias anteriores ,fato este comprovado por meio de imagens de câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais onde o mesmo esteve , descartando a sua participação como executou ,mas não de o mandante.



No último sábado (20), o ex-marido da vítima foi preso por uma equipe do Departamento de Homicídios de Imperatriz , que será transferido ainda está semana para São Luís para prestar seu devido depoimento .



Por fim ,ainda na manhã desta segunda-feira (22) , a Polícia Civil conseguiu cumprir um mandado de prisão contra o terceiro homem apontado como o intermediador (contratante) do crime que seria chefe da obra vizinha à residência das vítimas .






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM